Jornal Plural IpiaúConfira as edições impressa. Leia online ou baixe em PDF

PMDB se reúne nesta quarta para decidir sobre fechamento de questão na reforma

PMDB se reúne nesta quarta para decidir sobre fechamento de questão na reforma

O presidente do PMDB, senador Romero Jucá (RR), convocou reunião da executiva nacional do partido para esta quarta-feira (6), 16 horas, para decidir se a legenda fechará questão ou não a favor da reforma da Previdência. Segundo o líder da sigla na Câmara, deputado Baleia Rossi (SP), a expectativa é de que o fechamento de questão seja aprovado, pois já há maioria para isso. O fechamento de questão é uma decisão tomada pela maioria da executiva nacional de um partido. Quando isso acontece, parlamentares que votarem de forma diferente ao que determinou a direção da legenda podem ser punidos até mesmo com a expulsão. Há também o fechamento simbólico feito pelas bancadas no Congresso. Nesse caso, porém, não costuma haver punição. O governo espera que o fechamento de questão do PMDB tenha um “efeito-manada”, ou seja, leve outros partidos da base aliada a também fecharem questão. Governistas acreditam que partidos como PP, PTB e PRB poderão seguir o exemplo e fechar questão. O PSDB marcou reunião para esta quarta-feira para tratar do assunto, mas, segundo o líder da sigla, Ricardo Tripoli (SP), não deve haver deliberação. “Fechar questão é o mínimo que o partido do presidente da República pode fazer para garantir a estabilidade”, afirmou o líder do PMDB. De acordo com ele, a perspectiva é de que, se a reforma da Previdência for aprovada, os indicadores econômicos devem melhorar. Um deles, disse, deve ser o desemprego, que poderá cair de 12% para 8%, de acordo com o peemedebista. Baleia ressaltou que o pedido de fechamento de questão do partido foi encaminhado por ele. Segundo o peemedebista, há “maioria absoluta” na bancada da sigla, a maior da Casa, com 60 parlamentares, a favor da proposta. Ele não informou, porém, quantos deputados vão votar a favor da matéria. “Vamos trabalhar um número grande de deputados para votar a favor”, disse. Ele também desconversou ao ser questionado se o partido deverá punir os deputados que votarem contra a reforma. Segundo ele, essa é uma questão a ser definida pela direção do partido. “A ideia é que deputados sejam convencidos de que aprovar a reforma é melhor caminho”, disse.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *